a s p a s

* * *

“Vai-se armando o mundo no qual se queira, se possa ou se aceite viver, a partir de dados que são recebidos desde que se nasce. Se arma um quebra-cabeças infinito, ao qual sempre se pode agregar, e de fato se agregam, novas peças, inclusive entre duas peças que pareciam perfeitamente ajustadas: parecia que ali, justamente ali, a imagem, ou pedaço de imagem, estava completa; porém surge outra peça e se encaixa entre essas outras duas tão ajustadas, se encaixa e muda o significado desse pedaço de mundo, talvez do mundo inteiro — desse mundo que criamos ou que seguimos criando enquanto vivemos.

Fora desse mundo criado, está todo o resto. O que não conhecemos, o que não suportamos, o que nos desgosta mais além do desgosto que podemos tolerar. Fora desse mundo que criamos para poder viver, encontra-se o mundo real, incognoscível: o mundo que não era para nós.”

[ Mario Levrero, “Irrupciones”, 2007, Punto de Lectura, Montevideo, Uruguay. ]

Anúncios
Padrão

Um comentário sobre “* * *

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s