Joca Reiners Terron?

Joca Reiners Terron (Cuiabá, 1968) é escritor. Publicou “Eletroencefalodrama” (poemas, Ciência do Acidente, 1998), “Não Há Nada Lá” (romance, Ciência do Acidente, 2001, reeditado em 2011 pela Companhia das Letras). “Animal Anônimo” (poemas, Ciência do Acidente, 2002), “Hotel Hell” (novela, Livros do Mal, 2003), “Curva de Rio Sujo” (contos, Planeta, 2003), “Sonho Interrompido por Guilhotina” (contos, Casa da Palavra, 2006), “Do Fundo do Poço se Vê a Lua” (romance, Companhia das Letras, Prêmio Machado de Assis da Biblioteca Nacional de melhor romance de 2010), “Guia de Ruas Sem Saída” (graphic novel ilustrada por André Ducci, Edith, 2012). Assinou a dramaturgia de “Bom Retiro 958 Metros”, peça do Teatro da Vertigem. Seu último livro é o romance “A Tristeza Extraordinária do Leopardo-das-Neves” (Companhia das Letras, 2013).

Este blog, contraditoriamente, trata de sua total incapacidade de escrever posts e da busca de melhorar seu caráter por meio dessas tentativas vãs. Blogar com frequência pode tornar alguém melhor, é o que acredita. Hum. É evidente que ele já se sente bem melhor só de escrever este memorial. Suas faces ganharam cor. Seu ânimo aumentou. Começou a fazer um polichinelo. Vai, João Carlos. Força.

jterron@gmail.com

28 comentários sobre “Joca Reiners Terron?

  1. Tania disse:

    Oi, Joca! Long time…
    Caí aqui meio ao acaso…li sobre sua crença de que blogar faz alguém melhor…tô ferrada…para ser polida (e não dizer f…dida…)…Bacana ver vocé, quer dizer seu nome por aí! Abraço da familia Rinaldi!!
    Tânia

  2. HERMES MELAO disse:

    E ai João a quanto tempo, como andas, cara seria ótimo poder corresponder com você, quem sabe quando ir a São Paulo, poderíamos tomar várias cervejas, pois naquela época nossa idade não permitia. Um abraço Melão (Fátima do Sul/M.S.)

  3. kleber arantes disse:

    quero saber, joca, o nome deste teu poema:

    Postes são árvores sem vida
    Hidrantes, bebedouros para o fogo
    Semáforos têm três olhos,
    Mas só abrem um de cada vez
    Não existem placas de trânsito em braile
    Avenidas são serpentes saracoteando luzes
    É, tudo é o que parece ser
    E é…

    • jocareinersterron disse:

      É “Sub nocte per umbram”, Kleber. É latim e quer dizer “sob a noite pela sombra”. É um verso dum poeta latino que agora não me recordo o nome. Virgilio, talvez? Enfim. O poema tá no meu primeiro livro “Eletroencefalodrama” (Ciência do Acidente, 1998). Putz, faz tempo…

      • Kleber Arantes disse:

        Ainda que tarde, muito tarde (pois só vi agora), te respondo e agradeço Joca. Valeu muito, muítíssimo pela informação…

      • Emerson Rodrigues disse:

        Sou Emerson da Global Editora, por gentileza entre em contato comigo o mais urgente possível.
        Agradeço desde já a atenção!

  4. Joca;

    …ainda ontem, no Sebo do Bac, o Anselmo-Bac, o Ademir Assunção e eu, falamos e falamos sobre a verdadeira sacanagem e saco de merdas que estão jogando em você.

    Eu concluo, que é tudo uma grande falta de competência de um ou outro… idiota, que usa fralda como uniforme público e que quando faz caquinha, usa uma pessoa de talentos como você, para se limpar e depois se esconder debaixo da saia de algum barbudo, careca, ou qualquer outro esteriótipo assustador da junta educacional. Tudo isso porque não tem integridade, não tem valores. Enquanto você, se mostra íntegro e expressa os seus valores em seus livros, poesias e tudo mais.
    Sou a favor de uma comunicação estreita, verdadeira e diferenciada e admiro a sua forma de dizer o que pensa sobre toda essa hipocrisia que rodeia o dia-a-dia, através das palavras.

    Quero deixar minha força para você nessa hora. E se precisar falar sobre o assunto em nossa revista, estamos a sua disposição.

    Força…
    Abraço,

    Marcel Pereira
    Editor
    Livraria & Editora
    The Book’s On The Table – Drogaria De Livros
    Revista Eletrônica Acéfalo – A notícia pessoal

  5. Pingback: Um post inútil « sabor graxa

  6. Olá! Em resposta ao seu twitter, sobre a SAMBA 2 ter a primeira HQ 3D do mundo. Depende. Se é o 3D clássico de óculos com lentes vermelhas e azuis, já foi febre nos anos 50. http://tiny.cc/rcpy9

    Sobre sua HQ, parabéns pela parceria, o Gabriel Góes tem um traço fenomenal, tenho certeza que vai ficar animal!

    Até!

  7. Marlon Vilhena disse:

    ‘Tarde, Terron.

    Conheci alguma coisa sua pela internet, e desde então vivo me esbarrando com seus textos aqui e ali. Literatura com sinceridade e qualidade, isso é que é.

    Espero que um dia, quem sabe passando por Sampa visitando uns amigos (ou você participando da Feira do Livro em Belém), eu lhe pague uma cerveja, falemos do ofício da escrita e você me dê um autógrafo em caneta Bic num guardanapo de papel. Pra dar sorte.

    Abraços de longe.

  8. Terron,

    li no twitter sobre o convite que você recebeu para a FILBA, em B. Aires.

    Tem um link para a Feira Literária? Não encontrei via google. Qualquer dica, agradeço.

    Fernando.

  9. Salve Joca,

    Quanto tempo, hein ! Desde o lançamento do “Susto do Sapiens” pela ciência do acidente – Pretendo comparecer ao lançamento dos livros do reinaldo Moraes e Marçal Aquino na Livraria da Vila. Lá nos falamos – Abraço – Edmilson Felipe

  10. Estimado Joca Terron,

    gostaria de saber se você pode enviar para e-mail (ou se poderia republicar em seu blog) um texto que escreveu sobre Wander Piroli para a revista Fraude, lá pelos idos de 2002 — no qual você argumenta que Piroli é mais interessante que Bukowski e Fante.

    Estou a escrever um ensaio sobre “o filho da mãe” para uma edição especial do Suplemento Literário de Minas Gerais sobre WP e gostaria de poder contar com seu artigo como munição. 😉

    Abraço do
    Cleber Cabral.

  11. Jéssica Camila Lemes Hikida disse:

    Olá, fiquei muito interessada em seu romance “Do fundo do poço se vê a lua”, sou graduada em letras e faço pós-graduação em Estudos Contemporâneos de Literatura. Tenho de fazer um artigo e penso em escolher está obra, só estou em dúvida com relação ao tema, mas o romance parece ser muito bom…

  12. Joca! Acabei de ler o “Curva de Rio Sujo” e… não sei! Li no “Cândido” que você não gosta de reler seus livros, mas você lembra, ou tem, algum artigo sobre ele que tenha gostado, achado importante? Só pra mim entender um pouco melhor… ainda estou meio confusa!

  13. Aline Leal disse:

    Que isso, muito bom este blog! Conheci-o apenas agora, a partir do blog do Amores Expressos, e a vontade é de passar horas lendo os posts… várias referências incríveis! Parabéns!

  14. Samuel Ignacio Ramirez Gutierrez disse:

    Caro Joca,

    Parabéns pelo seu trabalho! Eu gosto muito mesmo.

    Eu sou mexicano e moro no Brasil, foi aqui que conheci sua obra. A minha irmã no México encontrou um livro seu em espanhol “La tristeza extraordinaria del leopardo de las nieves” e queria saber se existem mais obras suas em espanhol.

    Parabéns de novo e um grande abraço,

    Samuel Ignacio Ramirez Gutierrez

    • Joca Reiners Terron disse:

      Oi, Samuel, muito obrigado por teu comentário e interesse!
      Além desse livro, a Almadía deve publicar em breve o romance “Do fundo do poço se vê a lua”. Avisarei aqui quando acontecer.
      Há também alguns contos e poemas em diversas antologias no México, Peru, Argentina, Espanha e Paraguai. Listo apenas os mais recentes e fáceis de encontrar no México:
      – “La invención de la realidad – antologia de cuentos brasileños”, org. Paula Parisot – conto “Fantasmagoría de motores muertos” (Cal y Arena, 2014)
      – “Latinoamerica criminal”, org. Daniel Galera – conto “Sol ciego” (Random House, 2015);

      Saludos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s